Stacks Image 16
Análise do comportamento: processos e procedimentos
J. C. Todorov
(já disponível gratuitamente em nossa biblioteca)
Como definir comportamento?

Os homens agem sobre o ambiente modificando-o (comportamento) e são modificados pelas consequências dessa ação sobre o ambiente (consequência).
Essa frase de B. F. Skinner é simples, direta e poderosa.
Claramente identifica uma interação comportamento-consequência.
Como é possível , então, d e f i n i r comportamento como a i n t e ração
organismo-ambiente? Autores que usam “comportamento” como sinônimo de “comportamento operante” sem avisar o leitor escrevem que comportamento é a interação organismo-ambiente, consubstanciada na contingência tríplice situação-resposta-consequência. Substituindo “comportamento” por essa definição temos: (A interação organismo-ambiente) é a (A interação organismo-ambiente)- consequência; um absurdo do tipo A é igual a A+B.
Comportamento é muito mais que o operante (operante é uma das
formas de comportamento). Sua definição como a interação da qual faz parte parece vir de uma confusão entre efeito e consequência. Um mero aceno de mão tem como efeito o deslocamento do ar, alguém acenando de volta é a consequência. Falar “bom dia” tem como efeito a produção de ondas sonoras, alguém responder “bom dia” é a consequência. Na linguagem leiga identificamos comportamentos por seus efeitos no ambiente e explicamos esses comportamentos por suas consequências. Entretanto, a definição usada por muitos analistas do comportamento toma efeito por consequência. A confusão parece vir da definição de reflexo por Skinner e por Keller & Schoenfeld. No comportamento reflexo a resposta não pode ser definida sem o estímulo eliciador, nem o estímulo sem a resposta eliciada. O equivalente no comportamento operante é a relação comportamento- efeito, não a relação comportamento-consequência.
Sobre efeito e consequência: correr é comportamento, certo? É definido pelo deslocamento rápido no espaço. Não preciso saber a causa para dizer que correr é comportamento. Já fuga, exercício, alcançar o ônibus são operantes definidos pela função da corrida. Dizemos que a criança está gritando pela intensidade do som produzido (efeito); dizemos que é birra pela consequência – o grito cessa quando a mãe dá atenção à criança. A consequência qualifica (birra) uma definição mais ampla (gritar). O grito é o comportamento, o qual é qualificado pela interação comportamento-consequência. Exemplos semelhantes são milhares: girar a maçaneta (comportamento), abrir a porta (operante); correr (comportamento), pegar o ônibus (operante); correr (comportamento), fugir da chuva (operante), falar (comportamento), mentira (operante).
Esse tipo de análise se aplica a toda a psicologia. Análise do
comportamento é uma visão, não é uma área apenas da psicologia. É uma visão que se aplica a toda área em que se identificar comportamento. Na psicologia ou fora dela, como veremos em alguns capítulos desta coletânea.

João Claudio Todorov (Organizador)