Mais um lançamento de 2020! Já disponível em nossa Biblioteca para download gratuito!

Stacks Image 215

Jorge M. Oliveira-Castro e Julio Cesar de Aguiar são dois pesquisadores que começam de pontos distintos, um na psicologia, outro no direito, e se encontram por interesses complementares.

Jorge começou a carreira ainda na graduação em psicologia, no Laboratório de Análise Experimental do Comportamento, participando de meu grupo de pesquisa – é coautor de um dos artigos publicados na época, dos mais citados até hoje (Todorov et al, 1983) –; fez mestrado na Universidade de Brasília apresentando uma análise conceitual lógico-linguística da Lei do Efeito (Herrnstein, 1970; Oliveira-Castro, Todorov & Gomes, 1986). Fez o doutorado em Auburn, Estados Unidos, com Peter Harzem, acentuando sua formação em filosofia do behaviorismo. Com carreira de professor pesquisador na UnB, eventualmente fez concurso público para o Tribunal de Contas da União.

Julio Cesar de Aguiar fez graduação em direito (1997) e mestrado em filosofia (2001) pela Universidade Federal de Goiás, doutorado em direito (2006) pela Universidade Federal de Santa Catarina e um segundo doutorado em direito (2012) pela University of Aberdeen, Escócia. Exerceu o cargo de Procurador no serviço público federal até a aposentadoria e atualmente é professor da Fundação Getúlio Vargas e pesquisador colaborador da Universidade de Brasília. Seu interesse por Análise do Comportamento é reforçado pelos dois doutorados, ambos com teses sobre direito como área aplicada das ciências do comportamento. Este livro é mais uma prova da adequação do trabalho em parceria. É certamente o trabalho mais completo e coerente de uma visão do direito como aplicação da Análise do Comportamento.

Escrito para um público formado em direito ou economia, o livro introduz didaticamente toda a teoria desenvolvida por Skinner a partir dos anos 30 do século passado, em linguagem mais acessível e texto mais completo que os de Skinner (1953) e outros mais recentes como o de Todorov (2005). São cinco capítulos que abordam a Lei de Responsabilidade Fiscal de vários pontos de vista, como “Teoria analítico-comportamental do direito”, “Análise comportamental das regras jurídicas: escopo e metodologia”, “A LRF como objeto da análise comportamental das regras jurídicas“, “Análise comportamental das contingências jurídicas da LRF”, e “Análise comportamental das regras jurídicas relativas aos limites para despesas com pessoal.” Abordagens próximas à utilizada neste livro têm sido publicadas esparsamente nos últimos 20 anos, nenhuma tão completa como a que este livro apresenta.

João Cláudio Todorov

Stacks Image 201

Segundo lançamento de 2020! Já disponível em nossa Biblioteca para download gratuito!

Em qualquer ciência, a pesquisa básica costuma ser ignorada pelo leigo. A visão popular da pesquisa depende de sua fácil relação com a solução de algum problema. Se há uma epidemia de vírus as pessoas que pelo menos sabem o que é isso não estranham que os governos invistam em pesquisa básica que possa fornecer informações sobre um problema para o qual não há resposta. A psicologia não escapa; sempre alguém me questiona porque trabalhei com ratos e pombos – uma curiosidade que muitas vezes não resiste ao início de minha explicação. Contudo, o que temos hoje em várias áreas de aplicação da Análise do Comportamento teve sua origem há 90 anos em uma pequena câmara experimental onde ratos trabalhavam. A análise do comportamento desenvolveu-se como uma linguagem da psicologia, aperfeiçoou métodos de estudo para questões tradicionais, abriu novos campos de pesquisa e gerou tecnologias em uso por toda parte. Tais métodos são utilizados por um grupo de pesquisadores que vem crescendo desde os anos 50 do século passado.

Reuni neste volume 11 trabalhos com meus alunos e um de dois ex-alunos. Os capítulos cobrem diversas áreas, de trabalhos experimentais sobre o comportamento humano a análises de projetos governamentais em andamento, capítulos que mostram artigos publicados e outros com trabalhos inéditos; um capítulo trata da Lei Maria da Penha, outro das várias maneiras que agências de controle moldam e mantêm comportamentos. No conjunto, uma boa mostra de nossa produção.

João Claudio Todorov
Organizador

Primeiro lançamento de 2020!
Já disponível gratuitamente em nossa Biblioteca!!

Stacks Image 184

Apresentar uma obra cuja intenção é transmitir a identidade de um Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura (PPGPsiCC) é um desafio. Isso porque um dos pontos fortes desse programa, destacado em avaliações da Capes, é a sua diversidade. Essa coletânea pretende celebrar mais um ano de existência do PPGPsiCC com uma mostra do que tem constituído a trajetória de pesquisa deste grupo de professores, pós-graduandos, egressos e suas parcerias nacionais e internacionais.
Ao apreciar os capítulos, o leitor perceberá aspectos identitários relevantes do programa. O primeiro deles é a abrangência de abordagens em psicologia clínica, com temáticas amplas, capazes de expressar a reflexão epistemológica e metodológica que norteia o PPGPsiCC. Isso resulta no compromisso com a inserção social revelada pela constante articulação entre as intervenções clínicas e as demandas da sociedade.
Outro aspecto a ser considerado é o processo que está por trás de cada produção. É importante entender a origem dos textos, que são resultados de projetos de pesquisas congruentes com as linhas do PPGPsiCC e que, sem exceção, pretendem compartilhar saberes que ilustram a responsabilidade em transformar realidades, articulados com os objetivos de uma universidade pública, gratuita e de qualidade, em seus pilares de ensino, pesquisa e extensão. Há também, nesse processo, uma partilha da maturidade acadêmica dos docentes e autores, que está representada em seus diferentes percursos de formação, mas virtuosos em sua capacidade de compor parcerias complementares e muito frutíferas em prol da produção científica de qualidade.

Desejamos que esse livro possa despertar reflexões e inspirar ações. Não há como representar todo o potencial de um Programa de Pós-Graduação na apresentação de capítulos, mesmo que tenham sido produzidos com todo o empenho em compartilhar projetos e ideias. Sabemos que a escrita não consegue conter e contemplar toda a experiência, mas esperamos que o leitor consiga absorver nosso entusiasmo e também ser sensibilizado por nossas inquietações. Fazer ciência é um ato político e, por isso, um livro que dá visibilidade aos trabalhos e ações de um Programa de Pós-Graduação tem se tornado, cada vez mais, um símbolo concreto de nossas lutas. Boa leitura!

Carla Antloga, Katia Tarouquella Brasil, Silvia Renata Lordello, Mauricio Neubern e Elizabeth Queiroz
(Organizador@s)

Vá até a nossa seção Biblioteca e baixe gratuitamente seu exemplar!

_____________________________________________________________________________&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&
Stacks Image 160
LANÇAMENTO EM DEZEMBRO DE 2019

Totalmente rediagramado, essa revisão do já clássico Teoria das Representações Sociais: 50 anos, corrige alguns problemas de reprodução de gráficos ocorridos na versão digital anterior. E a página de inicio de cada capítulo corresponde à do impresso, facilitando referências. Já disponível em nossa Biblioteca. Boa leitura!
Stacks Image 168
LANÇAMENTO EM NOVEMBRO DE 2019
Stacks Image 152

Ao ser convidado pela professora Fátima Sudbrack para ajudar na edição desse livro, lembrei-me imediatamente do V Congresso da Associação Brasileira Multidisciplinar de Estudos sobre Drogas (Abramd), realizado em 2015, em Brasília, quando constatei pessoalmente o entusiasmo com que seus membros encaram o trabalho e a importância que ele tem ao contribuir, com bases científicas, no tratamento de questões de saúde relevantes para o bem estar da população brasileira.

Confesso que não resisti em aceitar o convite para colaborar com essa edição!

Ao passarem a atuar diretamente na esfera do poder municipal, essas professoras e professores, depois da experiência exitosa de cooperação entre a Universidade de Brasília/Prodequi/PCL/IP/UnB e o governo Federal, através da   Secretaria Nacional de Politicas sobre Drogas/Senad, do Ministério da Justiça e do Programa Saúde na Escola/PSE,  da Secretaria  de Educação Básica/SEB,  do  Ministério da Educação, que disseminou esse trabalho em âmbito nacional, vão ao que poderíamos classificar - por semelhança - de "chão da fábrica", onde os fatos acontecem. E na relação direta com os cursistas têm oportunidade de ensinar, debater, levar e absorver um rico cabedal de experiências, dessa vez focadas especialmente no município de Esteio, Rio Grande do Sul.

Aproveito para parabenizar Jorge Veiga, que preside o Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas (Comad), de Esteio/RS, e todos os membros desse colegiado pela iniciativa de não só realizar o curso como, também, registrá-la em um livro que permitirá sua difusão e o aprendizado pelo público que não teve a oportunidade de frequentá-lo. Também parabenizo o prefeito de Esteio e sua Secretária de Saúde por terem apoiado e prestigiado essa inédita iniciativa.

E tenho o orgulho de contribuir, ainda que de forma modesta, para a viabilização desta publicação. Boa leitura!

Maurício Galinkin (editor)

Este livro já está disponível para download – gratuitamente – em nossa Biblioteca!
Dois grandes lançamentos neste final de outubro de 2019

- Violência conjugal contra a mulher na cidade de Maputo (capital de Moçambique): enfrentamentos e representações sociais, por Aniceto Mateus e Angela Maria de Oliveira Almeida; e
- Gênero, subjetivação e perspectivas feministas, organizado por Edlene Oliveira Silva, Susane Rodrigues de Oliveira e Valeska Zanello
Stacks Image 77
Stacks Image 79
"Este livro faz uma reflexão sobre violência conjugal contra a mulher, seus meandros e representações sociais. Resulta de um estudo de campo realizado na cidade de Maputo, capital de Moçambique, com mulheres que sofreram e/ou ainda sofrem deste tipo de aҫões pelos cônjuges e insere-se na área de Psicologia Social. O estudo visava compreender as representações sociais de mulheres sobre violência conjugal contra a mulher, construídas e compartilhadas no contexto das suas relações conjugais, evidenciando os processos psicossociais e culturais que possibilitam sua construção e os conteúdos que as compõem."
"Esta coletânea reúne uma série de estudos feministas acadêmicos sobre os modos de subjetivação de gênero em diversos espaços sociais. Atentos às interseccionalidades do gênero à raça, classe, etnia, sexualidade, religião, região e outros marcadores sociais, tais estudos promovem a crítica aos modelos binários e hierárquicos (sexistas e racistas) de constituição dos sujeitos, mas também evidenciam a liberdade, a resistência, as “construções de si” e a pluralidade do ser, engendradas em modos de existência que escapam à lógica normativa de produção das subjetividades."
"Enquanto fenômeno psicossocial, a violência conjugal contra a mulher se reveste de subjetividades e comporta ideias como força, poder, dominação, submissão, dano, as quais, por sua vez, remetem automaticamente ao espaço conjugal e doméstico. Isso implica que esta forma de violência não pode ser analisada como um fenômeno isolado, alheio a variáveis psicossociais e culturais, mas sim como um fenômeno resultante da interação de diversos fatores inscritos num contexto sócio-histórico e cultural particular."
"Na crítica aos processos de subjetivação na cultura disciplinar, nas regulamentações e normalizações essencialistas, os estudos feministas aqui reunidos chamam atenção para os perigos políticos das dicotomias hierárquicas (que opõem masculino/feminino, macho/fêmea, cultura/natureza, humano/ inumano, branco/negro, público/privado, corpo/alma, heterossexual/ homossexual), destacando a necessidade de problematizá-las, desnaturalizá-las e superá-las."
Este livro pode ser adquirido em nossa loja virtual, com total segurança para seus dados pessoais. Para comprar, clique aqui
Graças à parceria da Cfemea, este livro já está disponível para download – gratuitamente – em nossa Biblioteca!